Passo a passo para abrir negócio

Tempo de leitura: 9 minutos

Abrir negócio próprio nos tempos atuais, onde a taxa de desemprego no Brasil continua alta, acaba sendo não somente uma alternativa, mas, uma necessidade.  Por sinal, para se ter um impacto dessa questão, só no começo deste anos, segundo esta reportagem do G1, o desemprego já atinge mais de 12 milhões de brasileiros.

Ou seja, num ambiente cada vez mais complicado em se tratando de empregos formais, cabe “criarmos” nós mesmos as nossas oportunidades. E, nada melhor do que começa por abrir negócio próprio, e, a depender do tamanho do empreendimento que você se interesse em abrir, gerar oportunidades de emprego para outras pessoas.

Mas, como abrir negócio na prática? Como enfrentar a burocracia que faz parte do processo? E, como fazer com que o meu empreendimento seja um sucesso vindouro?

A seguir, algumas dicas.

abrir negocio

Abrir negócio: definindo o quê abrir

Com certeza, você já deve ter ciência de que conhecimento é tudo, não é verdade? Pois, bem. Então vamos repetir: conhecimento é tudo, principalmente nessa questão de abrir negócio, seja ele qual for. É muito necessário que você tenha o máximo de informações possíveis de como está o mercado, principalmente no nicho de empreendimento que deseja abrir.

São através dessas informações (o máximo que você puder coletar), que irão ser cruciais para se identificar oportunidades em lacunas no mercado, espaços que podem ser preenchidos com um empreendimento seu.

Por exemplo: o mercado está carente de roupas para bebês? Então, está gerada aí uma oportunidade de ingressar num nicho onde não haverá muita concorrência, e com esmero, você vai conseguir se destacar.

No entanto, é muito importante lembrar que a escolha da área da qual você vai atuar precisa combinar com uma cosia especificamente: a área em questão precisa estar em harmonia com as suas habilidades pessoais e com as tarefas que você desempenha melhor. Nada de partir para a culinária, por exemplo, se você não cozinha muito bem, por exemplo.

Ou seja, para definir bem quando for abrir negócio, é preciso que ele esteja alinhado com o seu perfil. Na dúvida, sites como o do Sebrae possuem tutoriais que mostram como escolher as ideias que melhor combinam com você.

 

Abrir negócio: ter gosto ela atividade

Meio que um “apêndice” do tópico anterior, aqui, você precisa analisar bem se a atividade que você escolheu para ser o seu empreendimento é uma da qual você tenha o mínimo de afinidade. Não adianta, por exemplo, você não gostar nem um pouco de novas tecnologias envolvendo celulares e computadores, e embarcar no ramo de programas de Internet.

Simplesmente, não “acontece”.

Abrir negócio é, antes de qualquer coisa, passar a exercer uma atividade própria da qual você domine, e goste de dominar. Até mesmo porque se é algo que você gosta, você tem mais conhecimento, e isso é um diferencial em qualquer empreendimento atual: conhecimento.

Agora, evidentemente que você não precisa saber de tudo, mesmo daquele assunto que domina. Por isso, mantenha-se sempre atualizado sobre os temas que você trabalha, leia artigos recentes, vá a palestras, e estude bastante. Quanto mais você souber, isso se tornará um ponto positivo que talvez a concorrência não tenha, e isso já se torna uma grande vantagem.

Veja também: como aumentar sua presença online usando marketing de conteúdo

Abrir negócio: conferir a viabilidade de um empreendimento

É certo que, quando temos uma boa ideia (ou, pelo menos, achamos que temos), queremos levar ela até o fim, independente de qualquer coisa. E, é aí que mora o perigo, principalmente se essa ideia, mesmo boa no papel, não for viável na prática do dia a dia, nesse mercado que aí está.

Tipo: no momento, uma das grandes tendências de mercado é o chamado comércio eletrônico (ou, como é mais conhecido, o e-commerce), onde você vende seu produto ou serviço pela web, usando ferramentas que otimizam o atendimento ao cliente e o fidelizam. É isto o que está na moda, e se você ainda tem outro canal onde realiza testes em você mesmo do seu produto, melhor ainda. Irá vender como água!

Portanto, faça antes uma análise de mercado, e veja se o que você planejou é viável ou não, principalmente, a médio e longo prazo.

 

Abrir negócio: possuir um plano de negócios é importante

Para abrir negócio, qualquer que seja o empreendimento, você precisa de uma espécie de “raio-x” dele. E, esse “raio-x” é justamente o que chamamos de plano de negócios. É através dele que você terá um retrato amplo do mercado, o que dá possibilidade de fazer a análise que for necessária.

Além disso, um plano de negócios destrincha bem o produto ou serviço que você irá oferecer, pois, assim, um melhor panorama pode ser traçado no sentido da sua fabricação, ou comercialização. Trata-se de um plano que também enumera as atitudes de um empreendedor, realizando, com isso, um planejamento estratégico mais elaborado.

Mas, afinal, pra quê, na prática, serve um plano de negócios?

Em linhas gerias, ele proporciona maior segurança na hora de abrir negócio qualquer, bem como ajuda a promover inovações que serão úteis na hora de diferenciar o seu empreendimento dos demais do mercado que são similares.

E, é essa, justamente, a palavra-chave de um bom plano de negócios: planejamento.

Utilize isso a seu favor, colocando no papel (ou, em um documento virtual, tanto faz) todo o “esqueleto” de seu empreendimento, além de um panorama de mercado. Assim, você poderá antecipar certas dificuldades, ou aproveitar inúmeras oportunidades.

abrir negócio

Abrir negócio: definindo o tipo de empresa que quer abrir

Quando se fala em “tipo”, entenda-se por tipo societário, ou, trocando em miúdos, quantas pessoas farão parte do empreendimento. Existem três tipos: Empresário Individual, Empresa Individual de Responsabilidade Limitada ou Sociedade Limitada.

Nos dois primeiros casos, pode-se abrir negócio sozinho. No último caso (Sociedade Limitada), é necessário que haja, pelo menos, um sócio. No tocante aos dois primeiros tipos, a diferença é que na Empresa Individual de Responsabilidade Limitada existe o que chamamos de separação jurídica entre os bens pessoas e o próprio negócio do empreendedor.

Existem exigências para a abertura desses tipos de empresas?

Sim.

Na verdade, para uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, é preciso ter um capital social cujo valor seja cem vezes o salário mínimo atual. Par os demais tipos, não há exigência de capital mínimo.

 

Abrir negócio: definindo o porte da sua empresa

Microempresário Individual (MEI), Micro Empresa (ME) ou Empresa de Pequeno Porte (EPP)? Qual dessas categorias se encaixa no seu empreendimento? Pois, é. Isso também precisa ser muito bem definido, principalmente porque isso interfere no limite do faturamento anual de cada porte da empresa.

Por exemplo, para um Microempresário Individual, o limite de faturamento é de R$ 60 mil. Já, para a Micro Empresa, o mesmo limite já sobre para R$ 360 mil. Mas, o que vai definir essa questão? Basicamente, a quantidade de impostos que precisarão ser pagos.

Quanto à formalização para abrir negócio, também existe diferenciação. O Empresário Individual que optar pelo MEI, por exemplo, tem como opção fazer o seu cadastro no Portal do Empreendedor, no seguinte site: http://www.portaldoempreendedor.gov.br/. Já, para as outras categorias de empresas quanto ao porte delas, será necessário contratar um contador.

 

Abrir negócio: faça as verificações necessárias com a prefeitura

Aqui, para abrir negócio, a situação começa a fica um tanto quanto burocrática, mas, faz-se necessário que haja todo esse cuidado. Por exemplo: na prefeitura, será verificado se a sua atividade pode ser exercida no endereço informado.

Isso se deve ao fato de que é preciso verificar as limitações do zoneamento do município e emitir uma certidão para uso do solo (caso a atividade não seja exercida na sua residência, é claro). E, não é preciso nem dizer que o IPTU precisa estar em dia, não é mesmo?

Além disso, existem outras autorizações extras, que serão informadas na própria prefeitura, e que são importantes para a autorização da sua atividade.

 

Abrir negócios: definindo regime tributário

Ok, é uma das partes chatas de todo esse trâmite, mas, ao menos, já estamos chegando ao final das etapas de abrir negócio.

Para um Microempresário Individual, o regime tributário é formado por um imposto mensal fixo de 5% do salário mínimo, acrescido de mais R$ 5 se você for prestar serviços e R$ 1 se ele for contribuinte do ICMS.

Já, a Micro Empresa e Empresa de Pequeno Porte possuem três opções de tributação: o Simples nacional, o Lucro Presumido e o Lucro Real. Quer saber qual a melhor opção para o seu empreendimento? Basta pedir ao contador para indicar um advogado tributarista ou um analista fiscal, profissionais gabaritados para essa função.

 

Abrir negócios: emitindo nota fiscal

Claro que para abrir negócio, seja em qual área for, é necessário emitir notas fiscais, e, para isso, o empreendedor precisa pedir autorização para a prefeitura ou para a receita estadual.

O seu negócio é uma prestação de serviços? Então, você pagará impostos diretamente para o município, tendo de se comunicar com a prefeitura da sua cidade.

Mas, o seu negócio está ligado com comércio ou indústria? Então, os impostos irão diretamente para a Secretaria da Fazenda Estadual.

 

Agora, com tudo alinhado e resolvido, basta abrir negócio, planejar-se bem, e obter muito sucesso em seu empreendimento.

 

Se você gostou do artigo, então conheça também o curso do Alex Vargas – Fórmula Negócio Online – que te ensina o passo a passo detalhado de como se tornar um empreendedor digital.

 

Figuras: freepik

 

Fazer comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *