Vencendo a procrastinação de uma vez por todas!

Tempo de leitura: 7 minutos

Como você está vencendo a procrastinação hoje? Já pensou nisso? Quem nunca teve uma tarefa mais complexa para realizar e quis deixar para depois utilizando as seguintes frases: “Já vou”, “Amanhã eu faço”, “precisa ser hoje?”. Já se deparou com algumas dessas situações? Então você já procrastinou algo.

 

Desde que a humanidade existe, o hábito de deixar para fazer algo posteriormente existe. Com o aumento do ritmo de trabalho imposto pelo século XXI e com os novos avanços da tecnologia, deixar de fazer algo não tão urgente no momento imposto se tornou um hábito quase impossível de se controlar.

 

Mas será que isso realmente faz bem para a produtividade do dia a dia? Neste artigo você conhecerá um pouco mais sobre a procrastinação e entenderá um pouco mais sobre esse assunto através dos seguintes tópicos:

 

  • O que é procrastinação?
  • Como pensam os procrastinadores
  • Os sete gatilhos da procrastinação
  • Dicas para evitar a procrastinação

 

Vencendo a procrastinação sabendo o que ela é

procrastinação

Procrastinar significa adiar algo, deixar para depois. Esse é um problema que existe desde os tempos de Sócrates, que já classificavam esse hábito como Akrasia.

 

Akrasia é quando fazemos alguma coisa, mesmo sabendo que deveríamos estar fazendo outra. Ou seja, a ideia de “deixar para depois” é exatamente a mesma: Arrumamos algo que julgamos mais importante naquele momento e deixamos para depois para que a tarefa se torne mais “fácil”.

 

Vencendo a procrastinação é uma coisa que te impede de seguir em frente com o planejamento inicial, encontrando outras prioridades.

 

Segunda matéria divulgada no site da Folha de S. Paulo, a procrastinação traz um tipo de alívio momentâneo, apenas. Ela age como uma resistência imposta pela mente humana em determinadas situações que se sente inconfortável.

 

Como pensam os procrastinadores? 

 

Quando decidimos praticar a procrastinação, temos o costume de deixar tudo o que é importante de lado para “satisfazer” um desejo momentâneo. Como você está vencendo a procrastinação, então?

Abaixo, colocaremos em tópicos como funciona o cérebro da pessoa quando faz a escolha de realizar algo em outro momento:

 

  1. a) Cérebro de um não procrastinador A pessoa que reconhece que possui uma tarefa e não escolhe deixar para depois, faz parte deste seleto grupo.

 

Por exemplo: Se você precisa ligar para um fornecedor para resolver pendências financeiras e não resolve não adiar esse momento, seu cérebro é um não procrastinador.

 

De acordo com diversos estudos sobre o cérebro humano, essa pessoa pode ser chamada de Tomador de Decisões Racionais.

 

  1. b) Cérebro de um procrastinador: Neste caso, se a pessoa reconhece que possui uma tarefa pendente que precisa ser feita e resolve adiar o momento de sua realização, ela já pode ser considerada procrastinadora.

 

Mas antes de tomar a decisão do não cumprimento da tarefa, ela consegue ter um conflito interno (quase imperceptível) com o cérebro que dura cerca de 5 segundos. Usando o mesmo exemplo mencionado anteriormente, neste instante seu cérebro funciona da seguinte maneira:

 

  • Você precisa ligar para um fornecedor para resolver pendências financeiras. Porém, faz uma pause para avaliar se é realmente necessário fazer a tarefa naquele momento e decide que responder uma mensagem de texto no seu celular é mais importante.

 

A este fenômeno enviado ao cérebro, estudiosos nomeiam como gatilhos de estímulo para a não realização da tarefa.

 

Por que procrastinamos?

 

Todos que estão vencendo a procrastinação buscam saber o porquê. Toda vez que decidimos deixar uma tarefa para ser realizada posteriormente, significa que estamos em conflito entre o neocortex e o sistema límbico.

 

Isso significa que existe uma parte do seu cérebro trabalhando para que você tome uma decisão racional baseada na atual situação, visando um benefício futuro. Enquanto a outra parte tenta te mostrar que o caminho emocional pode ser mais fácil e prazeroso momentaneamente.

 

Os sete gatilhos da procrastinação

 

Sempre que o cérebro considera se deve fazer algo que é certo ou que ofereça benefício futuro, ele realiza um cálculo baseado em todas as experiências vividas por você. Desta forma, ele busca encontrar algum tipo de benefício para que aquela situação possa ser adiada mais facilmente.

 

Os gatilhos que o cérebro usa para essa tomada de decisão são:

 

  • Dificuldade: Quanto mais complexa você considerar a tarefa, maiores suas chances de fracasso. Ou seja, maiores as chances de deixar para depois.

 

  • Tédio: Quanto mais entediante você considerar realizar tal função, menores as chances de realiza-la rapidamente.

 

  • Ambiguidade: Quanto mais confusa ou complexa o seu afazer se mostrar, menos vontade o cérebro demonstrará em executar tal função.

 

  • Frustração: Se a tarefa já foi executada anteriormente sem sucesso, é normal que surja um tipo de frustração.

 

  • Falta de estrutura: Quanto mais sem informações ou material para desenvolver o seu trabalho, maiores são as chances de adiar o que precisa fazer.

 

  • Significado pessoal: Se a sua tarefa não te der motivação para que seja executada, maiores são as chances de serem deixadas de lado.

 

  • Falta de recompensa: Caso o seu afazer não gere nenhum benefício (mesmo que seja a longo prazo), as chances de sucesso em sua execução imediata serão nulas.

 

Vencendo a procrastinação: dicas

procrastinação

Deixar as coisas para se fazer depois é um grande problema para a maioria das pessoas, especialmente os brasileiros, selecionamos algumas dicas para que possam ser colocadas em prática para evitar ou diminuir os atrasos nos afazeres.

 

É importante lembrar que o hábito de não praticar a procrastinação deve praticado constantemente, para que vire uma nova rotina em sua vida.

 

  1. a) Conheça a sua personalidade: Nada como você mesmo fazer uma avaliação sobre quais o motivos te impedem de realizar um trabalho com clareza em tempo hábil. Reflita se algum dos gatilhos mencionados anteriormente influenciam na sua tomada de decisão.

 

Identificando onde está o problema, organize seus horários e descubra qual o horário em que sua produtividade funciona melhor e tire esse período para realizar a tarefa. Com certeza além do desempenho ser satisfatório, a procrastinação poderá começar a ser evitada.

 

  1. b) Enumere seus afazeres: Se o seu dia tiver muitas tarefas urgentes a se fazer, enumere-as e crie uma planilha de prioridade. Reflita o que não pode ser feito de jeito nenhum e o que pode esperar até o meio da tarde, por exemplo.

 

O importante é saber a diferença entre priorizar o serviço e deixa-lo para depois. Não é porque seu afazer está enumerado como 5, por exemplo, que deve ser adiado. Se ele está na planilha do dia, faça-o até o fim de seu expediente.

 

  1. c) Defina prazos: Isso é essencial para trabalhos longos que demandam complexidade e atenção. Pense na seguinte hipótese: Quanto mais rápido você terminar, mais chances de desenvolver um outro projeto que tenha familiaridade ou que seja mais prazeroso.

 

  1. d) Faça imediatamente: Não pense em muitas possibilidades ou estratégias do que poderia estar fazendo no determinado momento em que está desenvolvendo a função. Isso só atrapalha seu desenvolvimento e o cérebro começa a levantar dúvidas sobre os gatilhos mentais.

 

Não utilize a frase “E se…” e passe a falar “Quando eu terminar…”. Além de ajudar a estimular o serviço, você estará treinando o cérebro a não deixar as coisas para depois.

 

Gostou do artigo? Então compartilha nas suas redes sociais e comenta aí embaixo.

 

Fazer comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *